quinta-feira, 20 de maio de 2010

"Bastião"

A sensação que incomoda é aquela de que a qualquer instante poderá chegar a notícia que, embora previsível, é deveras desagradável. Como se tudo caminhasse rumo às notícias desta espécie. Então talvez o destino ainda mude a direção, mude o comando destes pesares, acalme estas almas aflitas, desnorteadas, descompassadas. Quem sabe ainda existam chances pairando entre seu corpo já pálido e o cheiro de éter impregnado nas roupas de cama. Seria trágico demais se as esperanças se perdessem, porque no fundo elas são muito persistentes e não abandonam minhas preces encomendadas - porque a minha fé, esqueci onde guardei há meses.

Minha flor, essa semana o rio baixou, como se uma parte da natureza daquele lugar também houvesse se revoltado. O frio fez neblina, encobriu toda a casa e o caminho até a beira do rio. Revoltas pelas circunstâncias que levaram a esses desvios tortuosos, cruéis. Pode ser egoísmo demais, mas eu não queria te ver agora. Ainda que eu saiba que talvez não te veja nunca mais, certas coisas são controvertidas por natureza. A cumplicidade é algo muito raro... e acho sublime que você compartilhe dessa mesma ideia, talvez piegas e melancólica, mas no fundo é o que de mais importante restará de nós mesmos.

22 comentários:

  1. Ao ler seu pequeno texto meus ombros cairam, meus olhos baixaram e fiquei muda sem comentarios.
    Porque?
    Entrou de mal jeito, algo meio entalado prendeu na garganta.
    Porque?

    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. nossa adorei o texto pequeno mais tão gostoso de se ler, realmente me afetou.
    vc escreve divinamente, continue assim
    te seguindo

    xau^_^

    ResponderExcluir
  3. Se eu lesse um texto tão bem feito e q mexe tanto com agente td dia com certeza meus dias seriam bem melhores.
    Parabéns e obrigado pelo comentário no meu blog.
    Até qualquer hora.

    ResponderExcluir
  4. Hey,

    adorei o texto, me prendeu.
    Muito bonito.

    ResponderExcluir
  5. O seu texto me lembra de quando eu ia para Contagem e fica olhando pela janela, sabe aquela sensação de infinito? Gostei muito do seu texto, não mude seu jeito de escrever por nada, pois você acaba de ganhar um leitor assíduo.

    http://casadeinverno.wordpress.com

    ResponderExcluir
  6. O seu texto me lembrou de quando eu viajava para o interior e ficava olhando para a janela. Sabe aquela sensação de infinito? Não mude por nada seu jeito de escrever, seu texto é leve e muito bom. Alias você acaba de ganhar um leitor assíduo.

    http://casadeinverno.wordpress.com

    ResponderExcluir
  7. Querida!

    Sei da sinceridade de suas palavras!
    Não é fácil!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Belo texto, boa diagramação.


    Blog sobre Fotografia e Tech.
    http://patoemfoco.blogspot.com/ - Visitem!
    *

    ResponderExcluir
  9. tudo que é sólido se dissolve no ar... mesmo que não entenda o contexto que causou este texto, consegui admira-lo em si mesmo.
    gostei do blog, segui-lo-ei, se me permite.
    abraço

    ResponderExcluir
  10. Belo texto, curto e fácil de ler
    como disseram comentário ali de cima , da um sensação de infinito boa !
    Parabéns de verdade pelo texto!

    se der , da uma passada la no apartamento ;)

    http://apt404.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Muito bom o texto, curto, sincero
    gostoso de ler, mesmo sem um contexto exato, da uma ideia bem definida sobre o que trata !

    Parabéns , de verdade !

    se der , passa la no apartamento;)

    http://apt404.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. As sensações mais importantes são deveras piegas. O amor é brega e eu quero amar!
    Parabéns pelo texto!

    bj
    Pobre Esponja

    ResponderExcluir
  13. Belíssimo texto!
    Parabéns.

    www.todososouvidos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Lindo o seu texto. Pude perceber cada sentimento exposto em casa linha.

    Incrível como consegue dançar e formar tão bem as palavras.

    Adoro ideias piegas, romances piegas e sentimentos piegas... Acho que são esses os detalhes que me fazem mais viva.

    Adorei o blog. Estou te seguindo.


    Vanda Ferreira: http://vanda-ferreira.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  15. continue escrevendo seus textos.não ligue pras criticas dos outros

    ResponderExcluir
  16. muito muito bom o texto, vc escreve muito bem, parabens, continue assim !

    http://amansim.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  17. já comentei aqui,mas vou dizer outra coisa.è um texto muito bom e nos ajuda a refletir

    ResponderExcluir
  18. A mesma capacidade descritiva que já havia constatdo outras vezes.Dificil de encontrar na blogosfera.Parabens de novo Samira. Se der confere o meu.
    EM CARNE VIVA XI
    http://oficinamissoes.blogspot.com/2010/05/em-carne-viva-xi.html

    ResponderExcluir
  19. MUITO SENTIMENTO AQUI HEIN!
    VALEU!!

    ResponderExcluir
  20. Que doçura poética. Faltam palavras.
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  21. Interessante como a alteridade surge nos momentos poéticos, né... ainda aposto no equilíbrio entre a razão e a emoção na hora de criar!
    Ah... se tudo no mundo fosse poetagem, deixaríamos a bobagem de lado, sem pensar demais nas opiniões formadas...
    viva a poetagem, minha amiga, viva a poetagem e que dela nos enchamos de leveza pra vida.

    ResponderExcluir